A geração que não é o que esperavam dela

A geração que não é o que esperavam dela

O plano era chegar aos vinte e tantos anos com os filhos na escola, um diploma na parede do escritório e uma casa com piscina e jardim. O plano era que aquele primeiro amor durasse para sempre, que o curso da faculdade nos fizesse sentir completos, que a nossa vida já tivesse tomado um rumo até aqui. Acontece que o modelo de felicidade da geração passada não funcionou com a nossa. O futuro que escolheram para gente não se concretizou. O primeiro amor acabou, assim como tantos outros. O diploma está empoeirado na gaveta. O apartamento pequeno não tem jardim, mas a vista da janela até que é legal. Em alguns casos os filhos vieram, mas os pais não estão mais juntos. Parece um cenário triste, mas eu consigo enxergar por outra ótica. Ao meu ver somos uma geração que se recusa a ser infeliz. Que não aceita padrões. Fingir que está tudo bem não é com a gente. Muito menos manter relações de fachada. Se for preciso, terminamos relacionamentos, pedimos demissão, compramos passagens só de ida, recomeçamos tudo do zero. A nossa sede não nos permite viver naquele modelo. A carapuça não serve. Os trinta e poucos anos estão logo ali e as coisas ainda não se acertaram. Mas, quer saber? Talvez tenha sido melhor assim. Nós já vivemos tanto em tão pouco tempo. São tantas histórias pra contar. Optamos pela instabilidade e nos apaixonamos por ela. Somos a geração que pulverizou a mesmice. Quebramos os tabus dos brincos, dos cabelos, das tatuagens e dos relacionamentos. Criamos até mesmo novas profissões. Respeitamos as tradições, mas modernizamos o conceito da maioria delas. É claro que não acertamos em tudo, mas ninguém poderá dizer que não fomos felizes. Viajamos, festamos, bebemos, rimos e choramos. Moramos juntos antes de casar. Amamos por uma noite. Quebramos a cara e demos a volta por cima. Talvez um dia a gente se canse de tudo isso. Talvez lá na frente a gente consiga se enquadrar naquele formato. Pode ser. Mas, por enquanto, nós seguimos assim. Escrevendo o nosso modelo de felicidade. Errando os nossos próprios erros. Sobrevivendo ao caos com um sorriso no rosto. Nosso tempo, nossas verdades. Tirem os rótulos do caminho. Aí vamos nós.


5 de dezembro de 2016

12 respostas para “A geração que não é o que esperavam dela”

  1. Rayanne Marques disse:

    Como sempre é um maravilhoso texto.
    Parabéns rafa!!

  2. Issa Khalil disse:

    Que texto ducaraleo!!!!!!!

  3. Suely disse:

    Me identifiquei em cada frase desse texto, cada palavra escrita tinha um detalhe da minha vida, um pedaço que sonho não realizado….Muito Lindooo mesmo, não tem como ler e não compartilhar.

  4. Laryssa disse:

    Amo os seus textos. Você é incrível! Sou uma grande fã, parabéns!

  5. Oneide disse:

    Amei…esta é a nossa geração! Ai vamos nós!!!

  6. Naete disse:

    Descobri esse site por acaso, uma postagem de um amigo (quer dizer, amigo… amigo, não, tava “fuçando” o face dele mesmo😂😂😂😂) Mas enfim, estou adorando! Parabéns!👏👏👏👏👏👏👏👏

  7. Aline disse:

    Sim … tirem os rótulos do caminho esqueçam a frase: “Na minha época”!

  8. Liacira disse:

    Finalmente uma ideia que me traduz 🙌🏽👏🏼

  9. A tradução da minha vida. A tradução perfeita da geração dos vinte e poucos.
    Estou amando o blog. Parabéns!!

  10. Simone disse:

    Ótimo texto! Faz refletir sobre o que já vivemos com vinte e poucos… “Escrevendo o nosso modelo de felicidade.”

  11. que texto maravilhosoooooooooooooo meu DEUS. você está de parabéns…

  12. João Fernandes disse:

    Nossa um mais lindo que outro amei todos os textos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *