Carta para José Aldo

Carta para José Aldo

Ei, José Aldo! Não deve estar sendo fácil, né? Eu imagino.  O esporte, assim como a vida, muitas vezes é injusto. Não digo isso pelo resultado da luta de ontem. Vencer ou perder faz parte do jogo. Alias, essa é a graça do jogo. Você foi derrotado por outro atleta que, por mais que tenha uma postura questionável, também se dedicou muito para estar ali. Glórias ao novo campeão! Que a dor da derrota não nos cegue ao ponto de não sabermos reconhecer os méritos de um vitorioso. Quando falo de injustiça me refiro a nós, que ficamos do outro lado das cordas. As mãos que outrora te aplaudiram, agora apontam dedos. As bocas que você fez sorrir, agora vaiam. Esses somos nós. Fãs ingratos. Carentes de ídolos. Sedentos por novos heróis. E é a idolatria que nos faz esquecer que vocês também são humanos. E também erram. E também sangram. E também podem ser derrotados. Ontem aquele soco explodiu no meu rosto. No meu orgulho. Pra dizer bem a verdade, a cena de você caído na lona não estava entre as imagens que eu esperava ver um dia. Eu caí junto com você. Doeu em mim. Eu sei que é estranho sentir tudo isso por alguém que nem sequer sabe da minha existência, mas você tem esse poder de nos representar. Eu subi no octógono e fui vitorioso nas oito lutas anteriores. Naquelas lutas eu senti o Dana White colocar o cinturão em mim. Ontem esse cinturão trocou de mãos. Mas, sabe de uma coisa, guerreiro? Ainda bem que existem cinturões que ninguém pode tirar da nossa cintura. Eu não te chamo de guerreiro por subir lá e ganhar milhares de dólares por isso. Não. Esse é o seu trabalho. Eu te chamo de guerreiro por tudo que você fez antes para poder estar lá. Pela infância humilde. Por todas as vezes que você podia ter desviado do seu caminho e não o fez. Por ser um exemplo positivo em um país onde reinam os exemplos ruins. Esse tipo de cinturão ninguém jamais vai poder tirar de você. Sobre aquele outro lá, eu realmente acredito que irá reconquistá-lo, mas ele jamais será o seu maior prêmio. O meu rosto e o meu orgulho já estão melhores. Espero que os seus também. Acalme o seu coração. A luta da vida dura muito mais do que 13 segundos e, nela, você sempre será um campeão.


13 de dezembro de 2015

9 respostas para “Carta para José Aldo”

  1. Katia Almeida disse:

    Disse tudo…arrasou como sempre!!

  2. Marina Dutra disse:

    É de tamanha empatia com seu texto que digo. Ufa! Que bom ler palavras que engrandece um ser humano, eis que vivemos num tempo que as palavras mais grotescas seguem primeiro. Um momento em que julgar é melhor do que estender um apoio. Obrigada pelo texto sincero e verdadeiro.

  3. Fernando Oliveira disse:

    Realmente falou tudo que deveríamos falar e espero que muito mais pessoas possam ver esta carta e possam rever seus conceitos.Força e paz para todos nós!

  4. Julia disse:

    Obrigada por colocar em palavras tudo aquilo que eu pensei na hora e sinto agora.. como sempre! 🙂

  5. Edenise disse:

    Suas palavras servem como se fossem um novo cinturão. Renova a alma de quem o julgou pela sua derrota, e renova também a quem foi derrotado. Tenho certeza que se o Aldo ler essas suas belas palavras, terá mais um ânimo pra erguer de vez a cabeça e seguir lutando (literalmente)…. Parabéns, Rafa. A cada texto que leio, sinto mais e mais vontade de viajar nas suas histórias.
    PS: não sou uma fã da leitura… Mas você consegue me prender como ninguém a uma leitura. Obrigado por isso. Grande beijo. :*

  6. Camila dos Santos disse:

    “Nuss qe exemplo viu,tem meus parabéns, hoje li uma MSG q é um exemplo fiquei admirada com teus textos.
    José Aldo tem minha admiração assim como os demais atletas… Obgdo por compartilhar conosco o teu desabafo!”

  7. Isa Santiago disse:

    Amei o texto! <3
    Uma luta tão esperada, vc estava tão empolgado e foi derrotada de uma forma inacreditavel, doeu te ver triste, saber o quanto vc queria a vitoria e infelizmente n foi possível, eu cair com vc, fiquei triste com vc, mas como vc disse "Nos perdemas a luta n perdemos a batalha" e que venha a revanche, e eu vou estar aqui torcendo, vc sempre vai ser o melhor UMA DERROTA NÃO APAGA UMA HISTÓRIA e eu te amo, agora levanta essa cabeça guerreiro, vamos treinar e pegar o nosso cinturão de volta! Te admirooo demais José Aldo Júnior!

  8. Thayla Lima Alencar disse:

    Muito bem, arrasou com as palavras, campeão além das lonas, todos somos e com ele não seria diferente. São fases que devemos sempre enfrentar de cabeça erguida.

  9. Ronaldo disse:

    Disse tudo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *