Quase nada

Quase nada

(Resposta ao texto anterior – Leia primeiro o texto Quase Tudo)

Amanha será um grande dia sim. Estou muito ansiosa e está quase tudo pronto, apesar de ter optado por algumas mudanças no roteiro. Trocamos a praia pelo jardim da fazenda do meu noivo. Não vai ter convidados com pés na areia, mas terá entrada com o nosso helicóptero. O Tobias já está super treinado para entrar com as alianças. A correntinha da minha avó e a minha música favorita também estão no jeito. Pra dizer bem a verdade, concordei com quase tudo que você que você disse na carta. Sobre o quanto a data é especial para mim e sobre o quanto foi cruel e covarde da sua parte aparecer justo agora. Concordei com o que disse também sobre ser orgulhoso, sobre ter se acomodado e especialmente com o fato de ter acordado tarde demais. Mas preciso discordar com relação a ser você que deveria estar no altar me esperando. Não seja pretensioso. No fundo você sabe que não é o caso. Poderia ter sido, mas você foi incapaz de merecer aquele posto. Não vou negar que terminar com você foi um dos maiores desafios da minha vida. Só eu sei o que passei. Só eu e meu travesseiro sabemos das noites em claro. Mas, pra dizem bem a verdade, foi tão difícil quanto gratificante. Aquelas lágrimas lavaram a minha alma. Aqueles tempos de tormenta transformaram aquela menina em uma mulher. Eu não estava pronta, muito menos você. Na vida o “se” não conta história. Esse casamento que você descreveu nunca existiu. Não existe tempestade que não tenha fim. Ainda bem que a vida tomou outro rumo. Amanhã será sim um dia muito importante, e o sorriso lá no altar será do homem que me aceitou e me amou com as minhas imperfeições. Do homem que merece viver esse dia e todos os outros ao meu lado. Espero que você aproveite melhor na próxima vez que decidir se aproximar de outra pessoa. Que encontre alguém que ainda acredite nas suas promessas. Que tenha amadurecido com tudo o que passou. E que você siga sem remorsos e com a certeza de que não deixou nada de importante lhe escapar pelos seus dedos no passado. Ou melhor. Quase nada.

 


8 de setembro de 2016

17 respostas para “Quase nada”

  1. Zenaide Lima disse:

    Muito bom!

  2. Juliana Férrer disse:

    Essa era a resposta que eu precisava !

  3. Johnathan disse:

    Muito top!!!!!

  4. Laíse Vasconcelos disse:

    💭

  5. Samara Dias disse:

    MUITO LINDOOO !!!!

  6. Evelin Mikaelly disse:

    uooouuuuuuuuuu vc sempre arrazzaaaa

  7. Gabriela disse:

    Palmas para essa resposta!!

  8. JANAINA disse:

    AMEI…
    ASSIM COMO TUDO QUE ESSE RAPAZ ESCREVE!
    PARABÉNS RAFAEL

  9. Janaina disse:

    CA – RA – LE – O!!
    Isso é real?

  10. Erica Alice Ribeiro disse:

    Demais de bom! Kkkkk!

  11. suzy Araújo disse:

    Preciso muito comprar os kits. Me ajudem! Obrigada

  12. Debora disse:

    👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

  13. Adriene Débora disse:

    Queria saber se tem os livros dele em alguma livraria aqui em Belém do Pará ou se só vende por aqui mesmo ?

  14. Jose Nilson Cunha Ferreira disse:

    Pra que isso Rafa isso Sim e uma facada no coração do peão hehe 😂

  15. raquel disse:

    UAUUUU que tapa na cara!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *