São as águas de março fudendo o verão.

Acho que não foi bem assim que o tal do Tom escreveu, mas tenho certeza que era exatamente isso que ele pensou. Primeiro de março de 2011. Será que é isso mesmo? Na verdade, não sei bem como foi que tudo aconteceu. Lembro do champagne na taça de plástico, da senhora do 403 me abraçando com o seu suvaco peludo e do tio Epaminondas queimando o bigode com a última caixa de foguetes. Reveillon em família é sempre assim. Pelo menos na minha família. Gente feliz, abraços suados e luzes no céu. Terminei de repetir o pernil defumado e ainda deu tempo de pegar a apresentação do Engenheiros no Show da Virada. Escovei os dentes com a escova da minha irmãzinha, já que não podia entrar no banheiro interditado pelo patrão do meu pai. Ô sujeitinho do cú azedo. Dormi sorridente pensando no decote da namorada do tio Carlão. Acordei com minha mãe me chamando da varanda, doce como uma fada: “Você ainda tá dormindo fídumaégua.” Levantei tão depressa que não deu tempo de pensar no quão esquisito era  ir estudar no primeiro dia do ano. Deixei a Nandinha na creche e corri para a escola. O espanto só me veio quando a professora de Estudos Sociais entrou na sala de aula com sua pochete roxa tampando metade da calcinha bege, e escreveu no quadro a data de hoje. Primeiro de março, dá pra acreditar nisso? Agora estou aqui na aula de redação, escrevendo esse texto e tentando entender o que anda acontecendo com o tempo. Quem anda fazendo o relógio voar descompassado, e porque todo mundo finge que isso tudo é normal ? Eu quero meus dois meses de volta. Quero que os anos passem como antigamente, e quero voltar a sentir que meu aniversário demora a chegar. Sei que a pelancuda sentada ali na minha frente vai zerar minha redação quando ler isso, mas se você conseguir ler antes dela, me ajude se indignando também com essa covardia do relógio. Chega de ter que fazer tudo correndo sem ver a vida passar. Eu quero manhã com cheiro de recreio, tarde com soneca, filme, pipoca e pique-esconde.Quero noite com livro literário e um bom chocolate quente. Quero acordar sem o barulho do despertador e quero férias longas o suficiente para desejar que ela acabe logo. Se você quer isso também e se assim como eu não concorda com a velocidade das coisas, passe essa minha redação pra frente, antes que a pelancuda rabisque ela inteira com suas correções idiotas. 


2 de março de 2011

7 respostas para “São as águas de março fudendo o verão.”

  1. @StelaMaia ri muito lendo esse texto. O seu humor sempre me fez passar mal de tanto rir. hehe.

  2. @Pitossomo shausahusahusahuashu veeeelho genial ! Deu saudade das bagunças de Gotinhas do Saber.

  3. AMG disse:

    Mano, só você mesmo… kkkkkk
    MAs é impressionante como o tempo voa, quando eramos mais novos todos diziam que dos 18 em diante o tempo literalmente voa, e a cada dia que passa vemos o quanto isto é verdade!!! Abraço!!
    Dá uma espiadinha:
    http://aramago.blogspot.com/

  4. @janinnepacelli ficou bom bisurdo!! #morriderir

  5. Danillo disse:

    esses textos de passado dão um nó no peito que acho que aos 40 anos não sei se vou aguentar de tanta saudade. kkk

  6. @dayanefonte Você está cada vez melhor @RafaMagallhaes! Só podia ser amigo do @yurimanzi mesmo. Sempre ótimos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *